Pular para o conteúdo principal

"Espiritismo" e a sujeira debaixo do tapete

(Por Demétrio Correia)

A crise do "espiritismo" brasileiro se torna cada vez mais aguda.

Mais uma vez as contradições em torno de uma doutrina de raiz roustanguista mas supostamente "fiel a Allan Kardec" vêm à tona.

E são inúmeras.

Vão desde a mediunidade fake que só serve para propagandismo religioso até o Assistencialismo que ajuda poucos pobres e só servem para a promoção pessoal do "médium" de ocasião.

Isso fora o igrejismo que transforma o "espiritismo" brasileiro num sub-Catolicismo de feições medievais.

Diante dessas contradições, até os questionadores menos vigilantes ficam apavorados.

"Peraí, pelo menos eles (os deturpadores) fazem o trabalho do bem, temos que admitir essa qualidade", dizem uns incautos, confundindo Assistencialismo com Assistência Social.

O Assistencialismo, que os "espíritas" praticam, apenas realiza ajudas pontuais, com resultados medíocres, inexpressivos, superficiais e, não raro, provisórios.

Só servem para a promoção pessoal do "médium", medíocre seguidor da Doutrina Espírita que precisa se esconder sob a capa de "corajoso ativista" e "grande filantropo".

A Assistência Social transforma a sociedade, mas ameaça os privilégios dos mais ricos.

E são os mais ricos que fornecem medalhas e diplomas para os "médiuns" com jeitão de palavreadores, excursionando o mundo inteiro com palestras verborrágicas de palavras adocicadas.

Ah, tanta sujeira existe nessa Torre de Babel a que se reduziu o "movimento espírita".

E quando mais uma crise vêm à tona, com as "casas espíritas" ficando mais vazias, seus dirigentes e palestrantes, incluindo os tais "médiuns", tentam repetir o mesmo discurso vazio.

Apelam para a "fraternidade" e, estufando o peito, dizem para "esquecer as divergências".

As sujeiras se acumulam e mais uma vez temos que escondê-las sob o tapete.

Desde o roustanguismo do Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, as confusões do espertalhão Francisco Cândido Xavier, até as aventuras pedantes dos palestrantes "espíritas" mais recentes, que bajulam até o espírito de Erasto, ignorando seus avisos, o "espiritismo" acumulou sujeira demais.

E de tanta sujeira acumulada, o "espiritismo" virou uma podridão que contraria a embalagem até hoje "limpa" e "agradável" que a seita religiosa se apresenta aos leigos.

Isso é invencionice nossa? É papo de invejoso que "odeia o trabalho do bem"?

Não.

Se prestarmos bem atenção, Erasto faria críticas ainda mais enérgicas, deixando aqueles que se dizem seus simpatizantes bastante decepcionados.

A crise do "espiritismo" está aguda, e hoje parece insustentável os apelos que só funcionaram há 40 anos.

Os apelos de "sermos fraternos", "esquecermos as diferenças", "unirmos em torno de Kardec e não só estudar sua obra, mas vivê-la", entre tantas outras falácias, revelam-se inúteis.

Isso porque os conflitos, mascarados momentaneamente, sempre voltam, causando tanto mal-estar.

Conflitos que mostram o ridículo de tantos personagens "insuspeitos", desmascarados em suas fraudes e contradições.

Como se viu, explicitamente, com o próprio Chico Xavier no caso de Otília Diogo. Ou na defesa da ditadura militar num programa de TV.

Não dá mais para esconder isso e a sujeira acumulada não é mais sujeira, mas podridão.

Será que vamos apelar mais uma vez para o discurso da "fraternidade" e para a promessa vã de "aprender Kardec"?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.