Pular para o conteúdo principal

"Fraternidade" não é desculpa para unir forças antagônicas

(Por Demétrio Correia)

A "união espírita" no Brasil sempre foi a fraternidade da raposa com as galinhas.

Sempre que há uma crise entre os "místicos" (igrejistas) e os "científicos" (racionais), há sempre aquele "belo apelo de união".

"Vamos esquecer as desavenças e nos unirmos nos ensinamentos da fraternidade cristã", costuma-se ouvir.

Quem diz isso, é claro, são os "espíritas" de tendência mais igrejista, os "místicos", sempre "com profundo respeito e admiração aos científicos".

A ação de Adolfo Bezerra de Menezes é notória, ele, que havia sido presidente da Federação "Espírita" Brasileira (FEB).

Diante dos conflitos entre lideranças roustanguistas, como Dias da Cruz, Dr. March e o próprio Bezerra, com "científicos" como o ítalo-brasileiro Afonso Angeli Torteroli, a cúpula da FEB pedia "união em fraternidade".

Ao longo dos tempos, os igrejistas que já tinham como seu astro maior o "médium" Francisco Cândido Xavier, também faziam o mesmo apelo.

Fingiam ter "grandiosa admiração" por "científicos" como Deolindo Amorim, Carlos Imbassahy e José Herculano Pires.

Pregam a união entre a raposa e as galinhas, entre o lobo e as ovelhas, a "fraternidade" da alcateia com o rebanho ovino.

O apelo parece bonito, no seu enunciado. Parece um convite à concordância, que encanta a todos.

Mas por trás disso há um jogo de interesses.

E que sempre mostrou vantagens para o lado igrejista, com os deturpadores tirando o maior sarro nas eternas promessas de "respeitar as bases de Allan Kardec.

E isso fez com que os mais graves deturpadores de toda a história da Doutrina Espírita, os "médiuns" Chico Xavier e Divaldo Franco, continuassem seu caminho para o estrelato.

Algo que vai contra a função original do médium, quase anônima e meramente intermediária.

Esse papo de "fraternidade" esconde uma armadilha traiçoeira.

A de aceitar sempre a deturpação do Espiritismo como norte para a doutrina brasileira.

Finge-se respeitar o legado kardeciano e pratica-se o igrejismo roustanguista.

Cria-se um eterno círculo vicioso no qual os "ensinamentos cristãos" servem de mera fachada.

Isso não irá unir forças antagônicas, porque não se une forças em conflito.

É como na física, onde forças opostas sempre se chocam e nunca se integram.

Não há como unir o que desune.

A "fraternidade" que os igrejistas tanto falam só serve para fazer prevalecer seu igrejismo.

É conversa para boi dormir.

Só serve para tentar tranquilizar os espíritas autênticos, diante do poder dos deturpadores.

É como num galinheiro: raposas e galinhas se "unem" como "irmãos", desde que as raposas estejam no comando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.