Pular para o conteúdo principal

Adultos sentem mais dificuldade de superar paixões do que crianças

(Por Demétrio Correia)

As paixões religiosas andam embriagando multidões e transformando pessoas em escravas da ilusão.

Vários pregadores religiosos tentam convencer que isso não é ilusão, mas a verdade é que se trata disso, sim.

As paixões religiosas são a pior ilusão que pode envolver um adulto e elas constituem num arremedo mais doentio das fantasias infantis.

As fantasias marcadas pela mitologia religiosa, as estórias que soam como "contos-de-fadas da vida real", a retórica de palavras bonitas e mensagens dóceis, tudo isso reflete o ardil que tanto alicia muitos e muitos adultos.

O "espiritismo" não está isento dessas armadilhas das paixões religiosas.

E tem o agravante de vestir a capa do "esclarecimento", do "realismo", da "objetividade" e da "racionalidade".

Sabemos o quanto é perigoso se render às paixões religiosas.

Isso revela, contraditoriamente, tanto um saudosismo das doces fantasias de infância como uma impotência de lidar com a própria realidade.

As paixões religiosas não são exclusivas do "espiritismo" e nem de qualquer religião em si.

Elas podem ultrapassar os limites institucionais da religião, podendo representar uma reação doentia a desilusões e outros obstáculos da vida.

Elas fazem com que internautas invistam em cyberbullying contra pessoas que não correspondem ao seu perfil social, étnico nem à sua opção sexual ou ao seu modo de pensamento.

Fascistas surgem por causa de desilusões muito mal digeridas.

Infelizmente, o próprio dinheiro, o próprio prestígio social ou os meios de lidar com certas condições, como usar a formação acadêmica ou outros tipos de favorecimentos, permite que teimosias se convertam em tiranias.

Na infância, é mais fácil lidar com uma desilusão.

A criança reage chorando ou com raiva, e até faz chantagem ao adulto à sua frente.

Mas depois para para pensar e aprende a lição.

O adulto tem mais dificuldades.

Ele usa de seu prestígio, dinheiro e outros recursos e pode prejudicar outras pessoas.

Pode praticar crimes contra a vida, por conta dos caprichos de suas teimosias pessoais e pela consciência de risco que um assassinato traz a seu autor.

Pode botar a ética para o lixo, pode cometer violências, instaurar golpes políticos.

Um grupo de políticos que hoje está no poder em volta do governo Temer não aceitou a perda de seus privilégios lamentáveis, porém históricos.

Hoje Temer e seus aliados, sobretudo do PSDB, estão envoltos em delinquências políticas e burocráticas que não são novas, mas se tornaram intensas de maio de 2016 até agora.

Para verificar a crise institucional que vive o país, a antes respeitável Academia Brasileira de Letras tem como membro uma nulidade como o jornalista Merval Pereira.

Da mesma forma, uma entidade antes de máxima importância como o Supremo Tribunal Federal conta hoje com o autoritário e irregular Alexandre de Moraes.

Adultos são capazes de destruir uma humanidade por causa de reações de teimosia às desilusões da vida.

Deveriam aprender com as crianças, a pelo menos parar para pensar diante do que realmente querem na vida.

Deveriam pensar antes de agir, antes de sacar o dinheiro ou investir na carteirada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Um "Cruz e Sousa" fake trazido por Chico Xavier

(Por Demétrio Correia)
Pioneiro dos fakes, Francisco Cândido Xavier iniciou sua trajetória arrivista com um livro de poemas "do além", Parnaso de Além-Túmulo.
O livro se comprova uma coleção de pastiches literários, em muitos casos parecendo verdadeiras paródias, mas que a paixão religiosa deixou passar como "obra autêntica da espiritualidade superior".
Sim, a paixão religiosa, essa orgia sem sexo e nem dinheiro, mas tão mórbida e voltada para os gozos "do outro mundo", tão levianos e lascivos.
Sabe-se que Chico Xavier não realizou os pastiches sozinho e ainda se há de analisar as verdadeiras razões desse embuste literário, sem sucumbir à paixão religiosa que sempre protegeu o anti-médium mineiro.
Aqui vamos comparar um poema de João da Cruz e Sousa (1861-1898), poeta simbolista brasileiro, e um poema do suposto espírito, publicada na referida obra "mediúnica".
À primeira vista, os poemas são idênticos em estilo e mensagem, mas cabe aqui tomar …