Em livro de Chico Xavier, poemas simplórios sem a menor confiabilidade

(Por Demétrio Correia)

Sabe-se que o Espiritismo foi cruelmente deturpado no Brasil.

Poucos desconfiam do quanto os "espíritas" brasileiros usam a bondade para maquiar a deturpação.

Isso porque há desonestidade em muita coisa: na interpretação das ideias de Allan Kardec à prática de suposta mediunidade sem a concentração necessária para tanto.

O mais grave é que isso criou uma indústria de livros completamente medíocres que nos oferecem não os postulados verdadeiros da Doutrina Espírita.

Oferecem, sim, valores do Catolicismo jesuíta do Brasil colonial, redivivos num falso Espiritismo que cheira a mofo.

Os livros de Francisco Cândido Xavier são os maiores exemplos de todo esse engodo doutrinário que em de forma explícita afronta o legado kardeciano.

Não bastasse isso, identificamos uma verdadeira brincadeira de mau gosto com os espíritos.

Está no livro Seara de Fé, atribuído a diversos autores espirituais, um livro simplório de prosa e poemas que mostram um igrejismo pegajoso e enjoado.

Na obra, lançada em 1981, observa-se pelo menos quatro capítulos com poemas muito simplórios, de rimas fáceis e pouca expressividade.

São apenas panfletos igrejeiros, facilmente creditado a autores mortos, com uma facilidade que causa desconfiança.

Se Allan Kardec estivesse vivo na época, entendesse português e pegasse esse livro de Chico Xavier, certamente acharia os poemas "simpáticos", mas não veria confiabilidade nos mesmos.

Ele também não recomendaria que trabalhos assim fossem divulgados, pois não raro são expressões fáceis para qualquer espírito mistificador.

O livro de Xavier é igrejista até no título, e seu conteúdo católico salta aos olhos.

E nesses quatro capítulos de poemas simplórios, há desde pregações machistas (como o poema atribuído a Jovino Guedes no capítulo "Mulher e Caridade), até pastiches grosseiros de Cornélio Pires e Noel Rosa.

Há também, em outro pastiche, um Lamartine Babo que forçosamente cita "Mamãe Eu Quero" que nem era de sua autoria, mas de Vicente Paiva e Jararaca (este da famosa dupla Jararaca e Ratinho).

Cabe conferir os textos, nos quais facilmente se identifica, em todos, o pensamento pessoal de Chico Xavier, recomendando aos mais sensíveis cuidado para não caírem nas tentações da paixão religiosa, esse veneno de doce sabor que entorpece consciências.

********************

Textos extraídos de Seara de Fé, de Francisco Cândido Xavier, atribuído a vários espíritos. Editora IDE, 1981.

CARTAZES DO MUNDO

 A palavra é bela e santa,
 No grande plano da paz,
 Mas a força que a levanta
 O sacrifício é que faz.
 (Marcelo Gama)

 O mundo, por onde vais,
 Embora as leis da mudança,
 Pertence, cada vez mais,
 A quem lhe der esperança.
 (Noel de Carvalho)

 A Terra é uma embarcação
 Do Pensamento Divino...
 Da marcha na Imensidão
 Só Deus sabe o destino
 (Boris Freire)

 Guarda contigo esta nota
 De contexto lapidar:
 Fracasso não é derrota,
 É dom de recomeçar.
 (Gil Amora)

Há tempos, não sei, afundo,
 O que se passa na Terra:
 Se a guerra curtindo o mundo,
 Se o mundo curtindo a guerra.
 (Lulu Parola)

 Prossegue e insiste no bem,
 Sofre, luta e segue acima...
 Não há dívida da Terra
 Para quem se desanima.
 (Pedro Silva)

 Vista de muito distante,
 A Terra é um globo impreciso
 Com cabeça de gigante
 E coração sem juízo.
 (Sylvio Fontoura)

 Quem queira ser salvador,
 Salve o mundo para o bem,
 Sou apenas cantador,
 Não posso salvar ninguém.
 (Leandro Gomes de Barros)

O progresso continua
 Nas trilhas da evolução;
 O homem já vai a Lua,
 Mas vive preso no chão.
(Cornélio Pires)

MENSAGENS DE PAZ

O bem é luz sem limite
 Amor onde quer que vá.
 Toda paz que se transmite
 É riqueza que se dá.
 (Marcelo Gama)

 O sábio mais nobre e amigo
 Que mais serve i mais avança
 É aquele que traz consigo
 Um coração de criança.
 (Noel de Carvalho)

 Tolera com paciência
 Qualquer dor por mais aguda.
 Tudo passa na existência,
 Menos alguém. Deus não muda.
 (José Albano)

 Verdade que me abençoa
 Quando nela me concentro:
 Quem sofre é aquela pessoa
 A quem Deus fala por dentro
 (Pedro Silva)

 Sucesso tem um segredo
 No que anseias realizar:
 Se queres chegar mais cedo,
 Caminha mais devagar.
 (Gil Amora)

A paz não se faz na guerra
 Com armas e força bruta,
 Mas não tens paz sobre a Terra
 Se foges à própria luta.
 (Mauro Luna)

 Ante as luzes do porvir,
 Não te esqueças ;se trabalhas,
 É preciso construir
 Mais pontes do que muralhas.
 (Luciano Reis)

 Quem se irrita facilmente.
 Vivendo de impulsos loucos,
 Traz os sinais de um doente
 Que estase matando aos poucos.
 (Ciro Silva)

Alma que se intimida
 Ante as pedras em que avança
 É que conserva na vida
 A luz da própria esperança.
 (Mariana Luz)

 Homem manso que parece
 Tão manso que lembre escravo,
 No dia em que enfurece
 É pior que touro bravo.
 (Lulu Parola)

 Quem conhece aquilo ou isto
 Dos males em derredor,
 Toma a cruz de Jesus Cristo
 E veja se faz melhor.
 (Lamartine Babo)

 Foi no Sítio do Remanso.
 Quem falou foi João Nereu:
 -“Deus me livre do boi manso,
 Do bravo me livro eu.
 (Cornélio Pires)

Conclusão reconhecida,
 Tão clara quanto comum:
 A trilha da paz na vida
 Começa de cada um.
(Silvio Fontoura)

 Nas lutas de qualquer nível,
 Eis o melhor que se faz:
 Estar sempre disponível
 Para o sustento da paz.
 (Ormando Candelária)

 É por dentro da família
 Que por fim compreenderás
 Quanto é belo quão difícil
 Manter a benção da paz.
 (Antônio Martins)

 Nos quadros da natureza,
 Simplicidade parece
 A luminosa beleza
 Do coração que se esquece.
 (Meimei)

Entender a dor alheia
 E buscar a Lei Divina,
 -Eis as primeiras lições
 Que a nossa dor nos ensina.
 (Deraldo Neville)

Reflete no que planejas
 Nesta sentença segura:
 Aquilo que mais desejas
 É aquilo que te procura.
 (Boris Freire)

 Sofrimento acalentado
 Conserva amargura e prova:
 Quem desiste do passado
 Encontrará vida nova
 (Lafaiette Mello)

 Ser brando não é tão só
 Viver de bênçãos e amores:
 Jesus não viveu na Terra
 Sem lutas e opositores.
 (Silveira Carvalho)

MULHER E CARIDADE

Mulher entregue ao trabalho
 É a rainha do celeiro,
 Acha ouro no cascalho
 Colhe rosas no espinheiro
 (Jovino Guedes)

 Mãe que roga amparo a Deus
 De alma sofrida e sincera,
 Trabalha, serve, perdoa...
 Por nada se desespera.
 (Lopes Filho)

 Por mais desprezo em que viva,
 Por mais que o mundo a degrade,
 Mulher quando se faz mãe
 É benção da Humanidade
 (Casimiro Cunha)

 Troféu dos grandes troféus
 O mais alto e o mais profundo,
 Mãe é um sorriso dos Céus
 Sobre os lamentos do mundo.
 (Sylvio Fontoura)

Para que o homem evite
 Todo o risco que ele quer
 Deus lhe criou o limite
 O imenso amor da mulher
 (Marcelo Gama)

 Trata sempre com respeito
 A mulher mais desvalida.
 Toda mulher traz no peito
 As chaves da própria vida.
 (Pedro Silva)

 De mulher, lembro Lourença
 Na Fazenda do Remanso;
 Venceu paixão e doença,
 Depois morreu de descanso.
 (Cornélio Pires)

 Caridade, achei-a quando
 Trazia um mendigo ao lado:
 Era uma estrela brilhando
 No pão que lhe havia dado
 (Azevedo Cruz)

Caridade é um anjo oculto
 Que ama, sofre e bendiz,
 Fazendo a ventura alheia
 Sem procurar ser feliz.
 (Boris Freire)

 Mulher de paz e perdão
 Que se esquece, ama e confia,
 Carrega no coração
 O retrato da alegria
 (Quintino Cunha)

Louvor às mães!... Hoje vejo
 Meu samba na estaca zero,
 Mas guardo ainda o desejo
 De cantar: “mamãe, eu quero”.
(Lamartine Babo)

 Mãe e filho, doce enredo,
 Que a vida desenovela,
 O filho é sempre um segredo
 Guardado entre Deus e ela
 (José Albano)

 Mulher de passo inseguro?
 Onde o erro surge e medra,
 O homem que seja puro
 Atire a primeira pedra
 (Noel Rosa)

RECADOS DE VIDA E DE AMOR

Quem surge é de nosso trato?
 Pelo sim ou pelo não,
 Saibamos, de imediato,
 Que esse alguém é nosso irmão.
 (Pedro Nunes)

 A vida, em todos, é a vida,
 Que Deus nos criou na estrada,
 Para ser sempre vivida
 E não para ser sonhada.
 (Noel de Carvalho)

 Das verdades que o Céu cobre
 Eis uma nota a fulgir:
 No tempo, ninguém é pobre
 Quando procura servir.
 (Arthur Candal)

 Sentença incontrovertida
 Que não me sai da memória:
 Quem não perdoa na vida
 Não tem a paz da vitória.
 (Arthur Ragazzi)

 Da estrela ao traço de pó,
 Igual em todas as gentes,
 O amor é um perfume só
 Em mil frascos diferentes.
 (Nicolau Soares)

Dentro de novo sentido,
 Nos astros, sob atração,
 O amor é mais conhecido
 Por lei de gravitação.
 (Deraldo Neville)

 Aviso dos mais constantes,
 Por onde quer que se vá:
 O socorro dos semelhantes
 É sempre Deus que se dá.
 (Sebastião Lasneu)

 Coitado!... Pregava o bem,
 Sempre de cama e agasalho...
 Dizia sofrer sem cura
 De alergia por trabalho.
 (Sylvio Fontoura)

A Bíblia diz, a preceito,
 Segundo princípios sãos;
 Que Deus nos criou a todos
 E a todos nos fez irmãos
 (Pedro Silva)

 E Deus nos livrou da treva,
 - Informa o Livro Sagrado,-
 Mas o caso Adão e Eva
 Não parece bem contado.
( Lamartine Babo)

 Na lembrança que me invoca
 Da serpente sem juízo.
 Reconheço que a fofoca
 Começou no Paraíso
 (Jaks Aboab)

 Com tanto progresso e fita,
 A Terra, hoje, me empaca...
 Parece moça bonita
 Com sangue de jararaca.
 (Cornélio Pires)

Amor livre? Esse clamor
 Faz parte do que aprendi,
 Porque em matéria de amor,
 Cada qual sabe de si.
 (Noel Rosa)

 A luz da religião
 Que nos cabe recompor
 È a que nasceu de Jesus
 Na crença chamada amor.
 (Jovino Guedes)

Comentários