Pular para o conteúdo principal

"Espiritismo" e Michel Temer: dois retrocessos

(Por Demétrio Correia)

O governo Michel Temer é um governo "espírita".

Impõe sacrifícios pesados ao povo sofredor, em nome de "benefícios futuros".

Pede paciência e aceitação dos retrocessos e dificuldades.

O pretexto é o "combate à recessão", que o "espiritismo" traduz como "depuração".

Reajustes, mesmo, só os "reajustes espirituais".

O povo pobre paga como se tivesse sido tirano em uma encarnação distante, no Império Romano ou no tempo das colonizações.

Nem precisa de comprovação pela Ciência Espírita. Basta o "achismo" de um "médium".

O "espiritismo" terceiriza a vida, pregando que a pessoa deveria abrir mão de seus projetos de vida.

A pessoa está para ser "brinquedo" das adversidades, e, distorcendo o conceito de "vida futura", prega que a pessoa faça de sua encarnação uma coleção de desgraças e debilidades para se resolver um problema.

Isso é um grande desrespeito, porque uma encarnação estimada em cerca de 80 anos não pode ser desperdiçada por uma sucessão de desgraças.

Mas o "espiritismo" pensa nisso mesmo. E é isso que faz os "espíritas" apoiarem o governo Michel Temer.

Durante o governo Temer, você via tudo quanto era artigo "espírita" dizendo para aceitar sofrimentos e dificuldades extremas.

E ainda pedia para você orar preces, durante o momento de servidão.

É como um representante da classe empresarial havia dito: "Você pega um sanduíche com a mão e trabalha com a calculadora com outra".

Os "espíritas" devem dizer: "Você pega na enxada com as duas mãos e, com a mente em silêncio, sai elaborando uma prece qualquer a Deus".

Você divide seu pensamento entre o trabalho a ser feito e a prece a ser orada.

De preferência, uma prece para aguentar as dificuldades extremas e agradecer pela desgraça obtida.

O Plano Temer e o "espiritismo" brasileiro representam dois retrocessos.

O de Temer é de caráter trabalhista: reforma trabalhista e previdenciária que retrocederia o padrão de vida profissional aos paradigmas do século XVIII.

O do "espiritismo" retrocede, como religião, aos paradigmas do Catolicismo jesuíta que vigorou no Brasil durante o período colonial, até meados de 1750.

Em ambos os casos, convida-se o povo brasileiro a uma volta aos padrões de vida do século XVIII.

Tudo isso sob a desculpa de um "futuro melhor".

Só que, se retroceder três séculos é ter um "futuro melhor", então não sabemos mais o que é o futuro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.