Pular para o conteúdo principal

"Música espírita" não afasta espíritos inferiores

(Por Demétrio Correia)

Engana-se quem acha que as chamadas "músicas espíritas" afastam espíritos negativos.

Um considerável número de pessoas já alertou sobre o fato de que os espíritos inferiores se sentem atraídos, e não repelidos, pela "canção espírita".

E o que é a tal "canção espírita"?

São interpretações de canções diversas que supostamente abordam temas amorosos ou espiritualistas.

Pode ser até mesmo versões de músicas de Jota Quest, Michael Sullivan, Fábio Jr.

Ou "A Paz" de Gilberto Gil.

Ou mesmo "Como Uma Onda", de Lulu Santos e Nelson Motta, cuja letra é o pesadelo dos "espíritas" que pensam que uma encarnação é igual a outra e que basta o sofredor perder uma encarnação para recuperar tudo em outra vida.

Mas podem ser também hinos católicos. De repente um Padre Zezinho cai bem numa cantoria "espírita".

No entanto, a presença de canções autorais "espíritas" também é obrigatória. Sobretudo hinos de "centros", canções homenageando ídolos "espíritas" e tudo o mais.

Tudo num ambiente acústico, com muita alegria, sorrisos, apelos à paz etc.

Isso afasta os espíritos negativos? A resposta é não.

Os espíritos negativos se sentem até mais atraídos, porque nesse momento eles descansam do seu trabalho de arruinar os outros.

Eles até acham ótimo um momento como este, porque eles podem "repor as energias".

Antes de arruinar um sofredor de ocasião, eles relaxam e vão ouvindo melodias que lhes são agradáveis.

E como o "espiritismo" mexe com pieguice, que é uma forma excessiva e grosseira de emotividade, os espíritos inferiores se sentem ainda mais identificados com isso.

Eles se sentam, ficam quietos e ouvem tudo com muita alegria.

E eles deixam de ser espíritos negativos por ouvirem essas músicas de "mensagens muito positivas"?

A resposta também é não.

Até porque o "espiritismo" brasileiro, com tantas contradições marcadas pela desonestidade doutrinária, não traz energias positivas, diante da confusão vibratória que tais contradições influem.

As músicas "espíritas" são apenas um "descanso" que os espíritos inferiores encontram para o trabalho do mal.

Os espíritos negativos não gostam é das músicas "satânicas" das bandas de heavy metal, que para eles soam paródicas e zombeteiras, como se os headbangers tivessem tirando sarro com Satã.

Há mais positividade numa apresentação do Iron Maiden e do Black Sabbath do supersimpático Ozzy Osbourne do que numa cantoria "espírita".

O "espiritismo" brasileiro, deturpador, roustanguista enrustido, não poderia oferecer boas energias, tão apegado em contradições, omissões e dissimulações.

O "espiritismo" brasileiro sempre fez a festa dos espíritos inferiores, já que os brasileiros estiveram surdos aos apelos que Erasto deu nos tempos de Allan Kardec.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.