Pular para o conteúdo principal

Espíritos inferiores não ficam zoando o tempo todo

(Por Demétrio Correia)

Espíritos inferiores não ficam zoando o tempo todo.

Eles não falam como monstros de voz esganiçada ou soturna, e podem mesmo imitar o estilo vocal dos anjos.

Os espíritos inferiores podem até mesmo parecer bondosos e, se forem mais espertos, adotar um aparato de bondade plena que intimida qualquer questionamento.

No "espiritismo", nos esquecemos que a religião igrejista brasileira se deixou levar pela inferioridade espiritual, com uma desonestidade que surgiu a partir da apreciação do igrejista J. B. Roustaing.

Nos esquecemos que as fotos antigas de Francisco Cândido Xavier, o tão "bondoso" Chico Xavier, revelavam um semblante macabro e extremamente assustador.

Deturpador maior do Espiritismo, o "médium" Chico Xavier nem de longe é o "espírito iluminado" que os brasileiros, persuadidos pela Rede Globo, se acostumaram a acreditar.

Um ditado popular já nos diz muito a respeito da capacidade de espíritos inferiores se passarem por bondosos e afetuosos.

Ele diz: "De boas intenções, o inferno está cheio".

Na Máfia italiana, há cerimônias em que os próprios mafiosos se acolhem com muita afetividade, com beijos e abraços entre eles e discursos sobre "fraternidade" da famiglia.

No narcotráfico carioca, chefões aparecem em festas abraçando as pessoas e beijando bebês que seguram no colo.

Isso mostra o quanto os espíritos inferiores podem até mesmo fazer poemas dóceis, apelar para o "amor" etc.

Eles são os que mais apelam para mensagens supostamente amorosas, exagerando na dose de vibrações emotivas, comoções, carícias, palavras de amor etc.

No desenho do Papa-Léguas (Roadrunner) da Warner Bros, os rivais se deixam de combater na hora do almoço, se confraternizando durante as refeições.

O aparato de bondade é justamente o pior truque dos espíritos inferiores que se dotam da mais habilidosa esperteza.

Infelizmente, os brasileiros se deixam cair para tudo que parece exageradamente amoroso.

Acabam se envenenando com o açúcar das frutas das mancenilheiras da fé religiosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.