Pular para o conteúdo principal

A árvore não produz frutos diferentes da raiz

(Por Demétrio Correia)

O "espiritismo" brasileiro tem raiz roustanguista. 

A opção da Federação Espírita Brasileira em apreciar a obra de Jean-Baptiste Roustaing criou as bases da doutrina brasileira.

Isso se deu a ponto de forjar uma suposta psicografia de Allan Kardec pedindo apoio à "revelação da revelação" (subtítulo do livro roustanguista Os Quatro Evangelhos).

Hoje o "movimento espírita" tenta esconder esse passado.

Acha que uma árvore pode ter a raiz de uma planta e produzir os frutos de outra.

Deturpam o Espiritismo e acham que podem assumir os postulados originais de Allan Kardec.

Falam num "único espiritismo", o de Kardec, mas são eles mesmos que evocam paradigmas roustanguistas.

Escondem Roustaing nos porões da FEB, manuseado apenas pelo alto clero da federação, como se pudessem abrir mão do idealizador depois de herdar suas ideias.

Acham que, do "espiritismo" de raiz igrejeira, roustanguista, se pode gerar frutos puramente kardecianos.

E ainda falam em "rigoroso respeito" e "fidelidade absoluta" ao pensamento de Kardec.

Tomam como fontes traduções catolicizadas dos livros de Kardec (como as de Guillón Ribeiro e Salvador Gentile), que reduzem o pedagogo a um padre, 

Aí fica moleza.

Dá para ser roustanguista, rejeitar Roustaing e dizer que "aprecia" o pensamento científico do Codificador.

Tudo na maior malandragem.

Raiz e frutos que não se assemelham.

Afinal, a raiz de uma árvore indica os frutos que ela deve gerar.

Se a raiz é de uma espécie e os frutos, de outra, então a coisa está errada.

Não existe "espiritismo" igrejista com frutos kardecianos.

O "espiritismo" que temos no Brasil é roustanguista. Queiram ou não queiram seus seguidores.

Roustaing é um nome incômodo, mas foi ele que forneceu os dogmas, ritos e paradigmas do "movimento espírita" até hoje.

Acredita em "colônia espiritual"? Agradeça a Roustaing.

Acredita em "crianças-índigo"? Agradeça a Roustaing.

Acredita num "espiritismo" com beatitude católica, rezando terços, orações católicas, superestimando a figura de Maria, Mãe de Jesus? Agradeça a Roustaing.

Se o "espiritismo" adota "passes" sem conhecer Franz Anton Mesmer e cria uma "mediunidade" de faz-de-conta porque falta concentração no "médium", isto é roustanguismo.

Não dá para dizer que "respeita rigorosamente" o legado de Allan Kardec.

Até porque dá preferência aos maiores deturpadores, Francisco Cândido Xavier e Divaldo Pereira Franco.

Se você gosta de Chico Xavier e Divaldo Franco, não tem outra saída: você também gosta de Jean-Baptiste Roustaing.

E acha Allan Kardec chato de galocha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Um "Cruz e Sousa" fake trazido por Chico Xavier

(Por Demétrio Correia)
Pioneiro dos fakes, Francisco Cândido Xavier iniciou sua trajetória arrivista com um livro de poemas "do além", Parnaso de Além-Túmulo.
O livro se comprova uma coleção de pastiches literários, em muitos casos parecendo verdadeiras paródias, mas que a paixão religiosa deixou passar como "obra autêntica da espiritualidade superior".
Sim, a paixão religiosa, essa orgia sem sexo e nem dinheiro, mas tão mórbida e voltada para os gozos "do outro mundo", tão levianos e lascivos.
Sabe-se que Chico Xavier não realizou os pastiches sozinho e ainda se há de analisar as verdadeiras razões desse embuste literário, sem sucumbir à paixão religiosa que sempre protegeu o anti-médium mineiro.
Aqui vamos comparar um poema de João da Cruz e Sousa (1861-1898), poeta simbolista brasileiro, e um poema do suposto espírito, publicada na referida obra "mediúnica".
À primeira vista, os poemas são idênticos em estilo e mensagem, mas cabe aqui tomar …