Pular para o conteúdo principal

Caridade paliativa e a "bondade" espetacularizada

(Por Demétrio Correia)

As pessoas aceitam as deturpações do "espiritismo" brasileiro por um simples motivo.

Os deturpadores, "pelo menos", estão associados a ideia de "amor e bondade".

É como se fosse possível ser desonesto, equivocado e bondoso ao mesmo tempo.

Estão acostumados com o entretenimento de ouvir palavras bonitas em palestras das "casas espíritas" e depois visitar seus aposentos e ver pessoas aparentemente assistidas pela caridade.

No entanto, essa "bondade", tão alardeada e festejada há muitos anos, pouco ajudou de verdade.

Se realmente ajudasse, o Brasil teria atingido um impressionante estágio de desenvolvimento, a começar pela aparentemente alta reputação dos "espíritas".

Mas o Brasil sucumbiu a retrocessos profundos, e não houve ação de ídolo "espírita" que tivesse feito algum referencial na tentativa de resolver as injustiças sociais.

Palavras bonitas não matam fome, e ações paliativas apenas resolvem parcialmente.

Além do mais, os mesmos pobres reaparecem para eventos filantrópicos. Se eles reaparecem, é porque a caridade não resolveu. Ela foi em vão.

O que muitos pensam ser "bondade" é apenas a caridade paliativa.

É a "bondade" como espetáculo.

Ela é feita mais para fazer propaganda, impressionar e comover as massas, do que realmente para fazer ajudas definitivas às pessoas.

Ela é feita mais para dar cartaz ao filantropo do que a ajudar um número de pessoas.

Isso tanto é verdade que as pessoas estão muito mais preocupadas em defender o "benfeitor" do que em reconhecer quem foi beneficiado.

Quantos beneficiados? Qual o alcance de benefícios? Eles são definitivos ou provisórios? Eles são amplos e abrangentes? Eles são incondicionais?

Isso não importa para os "espíritas". O que importa é o "benfeitor", a "vitrine" humana da "bondade" espetacularizada.

Essa visão de "bondade" revela muitos equívocos.

Primeiro, por essa ideia ser vinculada a uma instituição religiosa.

Isso já contraria o caráter espontâneo da bondade. Ela só tem sentido, no caso, se estiver vinculada a alguma prática religiosa.

Segundo, é uma "bondade" que mais parece espetáculo de entretenimento do que um ato de solidariedade.

É apenas uma "bondade" que encaixa perfeitamente para a propaganda de uma "casa espírita".

Mas ela traz muito poucos efeitos em termos de ajuda ao próximo.

Se realmente essa "bondade" trouxesse efeitos definitivos e amplos, nosso país seria diferente da indigência social que hoje temos.

Não há como fugir disso.

Deixemos de idolatria e sonho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.