Pular para o conteúdo principal

Allan Kardec nunca afirmou existência de "colônias espirituais"

(Por Demétrio Correia)

Há, no "espiritismo" brasileiro, a crença de supostas cidades no mundo espiritual, chamadas de "colônias espirituais".

Elas dispõem de estruturas urbanas, embora de maneira mais "idealizada", com prédios mais modernos e estrutura ecológica mais abrangente.

Embora os "espíritas" afirmem que tais cidades existem, essa tese contraria severamente o pensamento de Allan Kardec.

Ele nunca afirmou existência de "colônias espirituais" e dizia não haver sequer uma tese plausível que pudesse supor algum indício das mesmas.

Passou-se o tempo e Kardec continua valendo, pois não há um estudo sequer que pudesse dar algum indício real de "colônia espiritual".

O que se vê no "espiritismo" são ideias especulativas, garantidas pelo prestígio religioso a partir do suposto médium Francisco Cândido Xavier.

Foi Chico Xavier que lançou o livro Nosso Lar, em 1943.

Mas a verdade é que a "cidade" de Nosso Lar, supostamente situada sobre o Rio de Janeiro, então capital do Brasil, nunca passou de pura ficção.

E, o que é pior, copiada de um livro de um reverendo protestante de dons paranormais, o inglês George Vale Owen.

O reverendo Owen lançou o livro A Vida Além do Véu (The Life Beyond the Veil), em 1913.

Nessa obra - cujo formato em vários volumes lembra Os Quatro Evangelhos, de Jean-Baptiste Roustaing - , se fala de uma suposta cidade espiritual no além-túmulo.

O livro foi lançado em 1920 na tradução brasileira da FEB. Carlos Imbassahy, o pai, traduziu o livro, a título de oferecer o debate sobre o mundo espiritual, mesmo quando Kardec rejeita a tese das "colônias espirituais".

O próprio Imbassahy era do grupo "científico", que via dúvidas nessa tese.

Mas aí, três décadas depois, Chico Xavier lança um trabalho parecido, só que num único volume e com alguns arranjos locais.

Há as dicas do presidente da FEB e dublê de empresário do "médium", Antônio Wantuil de Freitas, para a obra se tornar um sucesso.

Há as convicções igrejeiras do próprio Chico Xavier, católicas e não protestantes, como era o caso do reverendo Owen.

E havia sugestões do então menino-prodígio, Waldo Vieira, que iniciava contatos com o ídolo Chico Xavier e era fã de ficção científica, para dar um tom "futurista" à obra.

E há também citações roustanguistas, aproveitadas em várias passagens de Nosso Lar.

Portanto, Nosso Lar não é uma obra da doutrina de Allan Kardec.

Kardec, com sua honestidade intelectual, afirmava que não haviam estudos que sequer supusessem que as "colônias espirituais" pudessem existir.

Ele não fazia a menor ideia de como era o mundo espiritual. Só admitia sua existência, mas afirmava carecer de estudos científicos para definir como esse mundo era.

E até hoje nenhum estudo científico trouxe qualquer suposição de "colônia espiritual" ou coisa parecida.

Mas como Chico Xavier era arrivista e virou ídolo religioso graças às manobras da FEB e, mais recentemente, virado um quase-deus com uma "pequena ajuda" da Rede Globo, tudo isso se deixou passar.

Houve uma "médium" que desenhou até mapas e, caprichando na especulação que mais parece passatempo astrológico, delimitou até as "colônias" que pairariam sobre cada região do Brasil.

É tomar a ficção como algo mais realista que a realidade.

E isso é irresponsável, pouco importando as alegações "fraternais" que aparentemente estão em jogo.

Porque não há bondade que torne a desonestidade intelectual mais honesta.

Desonestidade é desonestidade. E não se ajuda o próximo enganando os outros com ideias fora de coerência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "espiritismo" apoia Jair Bolsonaro?

(Por Demétrio Correia)
Um grande perigo ronda o Brasil.
É a ascensão de grupos fascistas, que são tomados de emoção cega e histérica.
É o lado selvagem da emotividade exagerada, que em aspectos mais dóceis se vê nas atividades do "espiritismo" brasileiro.
A ascensão de Jair Bolsonaro, ex-militar que segue a vida política como deputado federal, é algo que se tem que preocupar.
Sobretudo pela horda de fanáticos que não medem escrúpulos para impor suas opiniões.
O Brasil vive um perigo de ver a democracia sair de suas mãos e de sua bandeira ser suja pelo suor fedorento de direitistas entreguistas.
O Brasil se reduzirá à velha condição colonial anterior a 1822, e de forma piorada, apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos.
Haverá apenas mudança de contexto, até bem pior.
Pois não se terá exatamente o sistema de capitanias hereditárias como se víamos antes.
Teremos coronelismos locais e um presidente ditador ameaçando o povo brasileiro.
A situação é ainda mais preocupante…

"Espiritismo" cofirma seu apoio ao governo Michel Temer

(Por Demétrio Correia)
O jornal "Correio Espírita" veio com uma "pérola" do "espiritismo" brasileiro.
Assim, na cara dura, o periódico anuncia que a tal "Pátria do Evangelho" já foi inaugurada.
A desculpa é que as dificuldades e conflitos extremos em que vive o Brasil seriam "diagnósticos" de males que afligem os brasileiros há décadas.
Segundo o periódico, isso criaria condições para o "despertar dos brasileiros" por um "ideal de amor e fraternidade".
Seria também uma propaganda para tentar salvar Francisco Cândido Xavier, o maior deturpador que maculou gravemente a Doutrina Espírita no Brasil e no mundo.
Sabe-se que Chico Xavier difundiu esse papo de Brasil como "coração do mundo" e "pátria do Evangelho".
Não era uma ideia original.
Ela se inspirou no pretenso profetismo de Jean-Baptiste Roustaing no livro Os Quatro Evangelhos e adaptou ao clima ufanista do Estado Novo.
Mas ela também foi prec…

Divaldo Franco e o apoio à "farinata" de João Dória Jr.

Terrível gafe que Divaldo Franco, tido como "sábio" e "bem informado", cometeu quando foi apoiar João Dória Jr. e seu "Allimento" idealizado pela Plataforma Sinergia, deixando o prefake divulgar seu produto no encontro Você e a Paz na sua edição paulista.

O escândalo só não é maior porque a mídia reagiu em silêncio, apesar da camiseta ostentada pelo prefeito de São Paulo.